Ganhe R$ 25 convidando seus amigos

Guarda volumes em São Paulo: Onde encontrar

Guarda volumes em São Paulo

Neste artigo falaremos a respeito dos tradicionais guarda volumes. Ao realizarmos uma pesquisa por “guarda volumes” no Google veremos muitos resultados de empresas de self storage/guarda móveis, que é um serviço muito parecido pois está relacionado com a armazenagem de bens. Entretanto, nem sempre quem busca um guarda volumes está precisando de um self storage de fato, por isso, neste artigo iremos listar algumas localidades de São Paulo e mostrar se lá é possível encontrar este serviço. Se caso você veio aqui a procura de um guarda móveis/self storage, nós também temos um outro artigo que fala a respeito deste serviço. Dito isto, vamos lá.

Aeroportos e Rodoviárias

É muito comum as pessoas precisarem de um guarda volumes nos aeroportos e rodoviárias, pode ser entre uma longa conexão durante a viagem, onde queremos um lugar seguro para deixar nossa bagagem enquanto fazemos um rápido passeio pelos entornos do local, ou então em uma viagem no qual ultrapassamos o limite de bagagem e queremos um local seguro para deixar a bagagem excedente até a nossa volta. Nesses lugares, geralmente os preços são cobrados por dia, e o valor costuma variar bastante, recomendamos que entre em contato com a administração do local para se informar direitinho, uma vez que esses preços podem mudar. Os valores listados abaixo são de Janeiro de 2018.

  • Aeroporto de Congonhas: O serviço é oferecido por uma empresa terceirizada e fica localizado no andar inferior na Ala Sul (no mesmo andar onde param os ônibus das cias aéreas), ele fica aberto das 06h às 23h e o telefone de contato é: (11) 5090-9836. O valor da diária  é cobrado da seguinte forma: Para objetos menores (até 75 cm²) é R$ 30, e para maiores o valor é de R$ 40.
  • Aeroporto de Guarulhos: O aeroporto de Guarulhos já é bem maior, de forma que a recomendação é ver se o seu terminal possui este serviço. No site oficial do aeroporto vemos que o serviço também é terceirizado e está disponível nos terminais 2 e 3. Terminal 2  Desembarque Oeste – tel (11) 2445-2501,  Terminal 2 Desembarque Leste – tel (11) 2445-4396, e Terminal 3  – tel (11) 2445-7667. Aqui o serviço é 24h, e o preço funciona da seguinte forma: A diária do armário (de aproximadamente 60 cm x 50 cm x 50 cm) custa R$ 40, se a bagagem não couber ela fica numa sala segura onde a diária é cobrada de acordo com o tamanho do objeto, o valor fica entra R$ 30 a R$ 40.
  • Aeroporto de Viracopos: O serviço também é terceirizado, e fica localizado no Piso 2 do edifício garagem, o telefone de contato é (19) 3725-5000 (este é o número oficial do aeroporto, não encontramos o número do guarda volumes). Nós ligamos na empresa responsável e os valores são parecidos com os do Aeroporto de Guarulhos, a diária do armário menor (de 60 cm x 50 cm x 50 cm) custa R$ 40, e eles possuem um armário maior (de 91 cm x 50 cm x 78 cm) cuja diária é de R$ 80.
  • Rodoviária Tietê: O serviço é terceirizado por duas empresas, ambas 24h, e os telefones são: (11) 2221-6335 e (11) 2089-1771. Os valores da diária custam entre R$ 13 (mala pequena) e R$ 15 (mala grande).
  • Rodoviária Barra Funda: Também é terceirizado e 24h, o telefone é (11) 5543-0488. O valor da diária é R$ 18.

Parques e pontos turísticos

Um guarda volumes também pode ser muito útil durante algum passeio, ou então durante as compras. Abaixo estão listados alguns dos pontos mais frequentados pelos paulistanos e turistas.

  • Parque do Ibirapuera: Infelizmente este serviço não está disponível no parque mais famoso de São Paulo, porém, já existe uma petição online reivindicando o serviço.
  • 25 de Março: Na 25 de Março há várias opções, desde o Terminal Turístico de compras da 25 de Março, que fica no metrô São Bento, tel (11) 3227-1473, até mesmo a opção de negociar um local com os lojistas e donos de hotéis da região, para se ter uma ideia, é possível encontrar diárias de hotel por R$ 80.
  • Mercadão – Mercado Municipal de São Paulo: Neste famoso ponto de São Paulo também não existe um serviço de guarda volumes.
  • Avenida Paulista: Na mais famosa avenida de São Paulo, a sugestão é verificar com os hotéis da região se estes disponibilizam o serviço para quem não é hóspede. Se for dar um passeio pelo MASP, o serviço é disponibilizado para quem possui ingresso.

Por fim, se as opções não te agradaram ou então se o serviço não está disponível no lugar que você deseja, faça uma busca em nossa plataforma e verifique se os nossos storagers estão disponíveis.  Muitos de nossos storagers estão abertos a armazenar pequenos objetos por curtos períodos de tempo, basta entrar em contato com eles e negociar.

Um abraço, e até a próxima =)

Estacionamento colaborativo – Inovação e excelente custo benefício

Estacionamento colaborativo

Estacionamento colaborativo

Estacionar carros em cidades populosas nos dias de hoje, tem sido uma tarefa cada vez menos prazerosa. Parte dessa “dolorosa” incumbência, ocorre devido à  disponibilidade de vagas de estacionamentos sucumbida à construção de prédios comerciais e residenciais no lugar dos terrenos que outrora eram ocupados com veículos, além da crise de estacionamentos que ocorreu nos últimos anos em metrópoles como São Paulo.

No que tange à crise, percebe-se o aumento da concorrência das vagas da zona azul disponibilizada pela prefeitura municipal da capital paulista, bem como os novos hábitos de mobilidade dos cidadãos paulistanos, tal como a utilização de aplicativos como Uber e bicicletas como meio de transporte, veja mais.

Ainda que com o número de vagas de estacionamentos reduzindo e, o aumento de alternativas como vagas de zona azul, o número de veículos circulantes é muito expressivo – o estado de São Paulo concentra mais de um terço da frota de veículos do Brasil -, e o cidadão ainda sofre com a falta de locais seguros, livres de intempérie, com preços competitivos e próximo ao seu local de moradia ou trabalho.

Nesse contexto, a startup Wistor elaborou uma comparação entre estacionamentos tradicionais presentes em metrópoles como São Paulo e Rio de Janeiro e a solução de estacionamento colaborativo que a startup disponibiliza, permitindo que quem tenha garagem ociosa, a anuncie para que pessoas estacionem seus veículos por períodos e preços combinados por meio do website.

 

Estacionamentos Tradicionais

 

Preços

O preço por hora de uma vaga de estacionamento em São Paulo capital, oscila entre 10 e 19 reais. Já para 12 horas de estacionamento, oscila entre 15 e 68 reais. Já no Rio de Janeiro, a mensalidade de um estacionamento pode custar entre 230 e 506 reais.

Localização

De fato há bastante opções de estacionamento em capitais, no entanto, parte das opções estão sujeitas ao desaparecimento devido a preferência do local para incorporações imobiliárias, o que minimiza a quantidade de estacionamentos disponíveis e, consequentemente, reduzirá o número de opções para o cliente que quer estacionar em locais de melhor infraestrutura, a preços proporcionalmente acessíveis e próximos a suas moradas e/ou escritórios.

Segurança

Os estacionamentos de maneira geral, deveriam possuir seguro. Ainda assim, avarias nos veículos passam despercebidas, e em alguns casos, há um litígio que ocupa tempo e dinheiro dos clientes ao conflitarem com as empresas de estacionamento.

Um detalhe importante é que mais da metade dos estacionamentos em São Paulo, são irregulares.

Praticidade

Do ponto de vista de pagamento, alguns estacionamentos não aceitam cartão de crédito, o que nos dias de hoje chega a ser antiquado. Além disso, em alguns locais com processos e infraestrutura rudimentares, o cliente precisa encarar filas para pagar, principalmente em casos de estacionamento avulso.

Além disso, em alguns casos de mensalistas, é preciso assinar contratos físicos, aumentando o tempo e burocracia na tramitação do aluguel da vaga.


Wistor

 

Preços

Na rede da Wistor, o Storager (possuidor e anunciante da garagem ociosa), é quem define o preço da vaga. Nossa experiência é que os preços das diárias (quando o Storager permitir esta opção), oscila entre 5 e 10 reais, e as mensalidades, entre 150 e 300 reais.

Localizações

Em um contexto de consumo colaborativo, a Wistor permite o aproveitamento de recursos já existentes para o funcionamento de sua rede, tal como o caso de vagas ociosas de garagens. Isto é, garagens residenciais, condomínios cujo estatuto permita o estacionamento de veículos de terceiros, entre outros espaços elegíveis a estacionar um carro, pode ser uma vaga para a Wistor, o que traz um alto potencial em termos de capilaridade e opções de vagas para veículos – de uma bike a um carro de grande porte.

Segurança

A Wistor avalia o perfil de todos os Storagers, isto é, se possuem algum antecedente criminal ou processos judiciais em andamento. Portanto há uma espécie de “peneira” para que os usuários possam anunciar suas garagens vazias. Além disso, em geral as vagas são individuais o que minimiza o risco com relação a avarias entre carros de diferentes Wishers (clientes que buscam vagas para estacionar seus veículos).

Praticidade

Todo o processo de busca por vaga de garagem, comunicação (para efeito de agendamentos, dúvidas, suporte e negociação de preço) entre Wishers e Storagers, bem como pagamento e atendimento aos clientes, são digitais, isto é, sem filas necessárias, e todo o processo ocorre de maneira transparente, com suporte jurídico e atendimento exemplar do time Wistor.

Precisa de uma garagem ideal para o seu veículo, comece sua jornada pelo nosso site! Possui garagem ociosa em sua casa ou prédio residencial ou comercial? Anuncie grátis com a Wistor.

Preciso de Garagem  Anunciar Garagem

Guardar os móveis ou vender?

Guardar ou vender os móveis?Neste artigo iremos falar sobre uma outra dúvida comum que alguns de nossos clientes possuem: O que vale mais a pena: Guardar os móveis ou vender? Não existe uma resposta única para essa pergunta, pois algumas questões precisam ser consideradas, ao longo deste artigo iremos responder estas questões com o intuito de te ajudar para que você não fique com prejuízo no final.

Quando descartar?

Antes de pensarmos em vender aquele móvel usado é bom nos colocarmos no lado do comprador e analisarmos se este ainda se encontra em bom estado para o uso, afinal de contas ninguém de gostar de comprar algo e se sentir enganado, certo? No final das contas você já deve saber se ainda dá para vender aquele móvel ou não, mas caso precise de alguma ajuda, neste artigo encontramos uma listagem do “tempo de vida” médio de cada móvel. Caso a decisão final seja descartá-lo, aqui você encontra algumas soluções para resolver isso.

E quanto cobrar?

Essa é possivelmente a pergunta mais difícil a ser respondida, pois é só você quem poderá respondê-la. Para uma abordagem inicial você pode seguir o que as pessoas geralmente fazem: entrar nos grandes portais (como OLX e Mercado Livre) e ver os preços que elas costumam colocar, mas aí você poderá questionar: “Poxa, mas o meu móvel é planejado, não tem como comparar, como faço então?”. Se este for o seu caso o tópico a seguir poderá te ajudar.

Mas então, guardar ou vender?

Para responder essa pergunta você precisará fazer as contas. Mas veja que com a ajuda da Wistor você não precisa assumir isso como uma decisão definitiva, você pode fazer ambos: Você pode deixar o seu móvel guardado em alguns de nossos storagers enquanto ganha mais tempo para vendê-lo no preço que deseja. Mas será que vale financeiramente vale a pena? Vamos fazer as contas.

Supondo que você tenha um guarda roupa planejado (de casal) com as dimensões aproximadas de: 250 cm (largura) x 50 cm (profundidade) x 230 cm (altura), para efeitos de armazenamento nós usamos as duas maiores medidas e multiplicamos, o que nos dá 5,75 m². Para este caso, em um self storage seria preciso um box de pequeno a médio porte, vamos considerar um tamanho médio de mercado de 8 m² (o que é suficiente para armazenar o guarda-roupa). Em um artigo anterior, vimos que o preço médio do metro quadrado de um self storage em São Paulo é de R$ 65 por mês, fazendo uma rápida conta de multiplicação, isso daria 8 m² x R$ 65 por/m² = R$ 520 por mês, considerando um desconto, uns R$ 450 pra ficar redondo, mas isso você só conseguiria se ficasse uns 3 ou 4 meses, no fim das contas daria mais de R$ 2 mil. Um guarda roupa planejado novo custaria um pouco mais que isso, então dá para ver que nesse caso não vale tanto a pena assim.

Mas e na Wistor? Aqui, você possui duas (na verdade três, vamos falar disso depois) vantagens: A primeira é que você paga pelo espaço que usar, no caso vamos colocar uns 6 m² só para arredondar as contas. E a segunda é que você pode encontrar storagers de tudo quanto é tipo e de preços variados, mas usaremos um que custa R$ 50 por/m² por mês, que é uma média boa. Fazendo as contas temos: 6 m² x R$ 50 por/m² = R$ 300 por mês. E aqui vem a terceira vantagem: Se você quiser ficar somente um mês só para tentar vender o seu móvel, é exatamente isso que você vai pagar. E caso você decida ficar mais tempo, você pode até negociar um desconto com o storager. Com isso, você ganha um tempinho a mais para tentar vender o seu móvel a um preço melhor, você não precisaria se desesperar e vender o seu móvel a menos de R$ 1 mil, por exemplo.

Se você chegou até aqui, você percebeu que não tem muito como fugir da matemática para saber o quanto irá gastar. Nesse artigo usamos um exemplo fictício, mas recomendamos que veja um outro artigo nosso para saber como medir o espaço que você precisa, e aí com isso você conseguirá ter uma boa ideia do preço final que irá pagar.

Um abraço, e até a próxima =)

5 dicas de organização de armazém

Otimização de Armazém

Dicas de organização de Armazém

O seu armazém é, sem dúvidas, um de seus maiores ativos. Pois trata-se do local onde suas mercadorias são recebidas e expedidas após a venda, e a velocidade e eficiência nas quais estas coisas acontecem é vital para o sucesso de seu negócio.

Faz sentido, portanto, que haja bastante organização no processo de armazenagem como um todo. Mantendo as boas práticas de organização no seu armazém pode fazer uma diferença relevante para a prosperidade do seu negócio.

Veja algumas dicas de como você pode levar a organização do seu armazém para um nível mais alto.

1 Identifique as localizações e caixas

Identificar onde você guarda cada SKU (código identificador de produtos) é crítico para o andamento do negócio. Tudo que é necessário é uma etiqueta com nome e código de barras para que o seu time trabalhe de maneira mais eficiente. Então, ao invés de ter que treinar e memorizar onde tudo é mantido, todas as localizações de suas SKUs podem ser rapidamente referenciadas. Implantar o escaneamento de código de barras pode agregar melhorias no processo de “picking” e contagem de suas mercadorias pelo seu time – Basicamente é permitido identificar de maneira rápida qual a SKU que está sendo manuseada.

2 Mantenha os corredores do armazém, limpos

Algumas coisas dificultam a produtividade em um armazém, tal como navegar entre caixas e pallets soltos nos corredores. Tempo despendido mantendo caminhos limpos pagarão os dividendos por permitir que o seu time navegue rápida e seguramente pelo armazém. Prevenir o acúmulo desordenado também facilita no momento de realizar o inventário, caso contrário, haverá fortes chances de acesso bloqueado para a contagem de mercadorias.

3 Empilhe seus pallets

Quando você pensar em otimizar o seu armazém, pense em verticalizá-lo. A média do pé direito de um armazém é de 6,4 metros. Isto é, um armazém de 1.858 m², possui cerca de 11.891 m³ de potencial armazenamento! Faça mais do seu espaço armazenado seu inventário de pallets em “racks de pallets”. Você também pode armazenar o seu inventário solto debaixo dos racks de maneira que seu time utilize o máximo de m² disponível.

4 Utilize agrupamento ABC

Varejistas de e-commerce podem identificar uma pequena porção de inventário que é mais frequentemente utilizada e entregue do que a outra. Esses produtos mais rentáveis, por consequência, são despachados com maior frequência, e precisam ser estocados mais consistentemente do que a maioria do catálogo remanescente. Para um processo de picking e contagem mais fáceis (especialmente quando utilizada contagem cíclica), agrupe o seu inventário em 3 categorias:

“A” para os produtos mais vendidos

“B” para os seus produtos vendidos acima da média

“C” para os seus produtos vendidos abaixo da média

Então, organize o seu piso de picking de maneira que o time tenha o acesso mais fácil possível as SKUs “A”, depois “B” e, por fim, as SKUs “C”. Veja um exemplo de layout de agrupamento ABC:

Agrupamento ABC no armazém

Agrupamento ABC no Armazém

5 Use o princípio de Pareto

Há um série de variações da regra 80-20. “20% dos pescadores pegam 80% dos peixes”. “20% das companhias detém 80% da riqueza”. Mais importante, 20% das SKUs podem ser encontradas em 80% das suas ordens. Este fenômeno é chamado de princípio de Pareto. Utilize este conceito a favor e agrupe esse 20% do seu catálogo mais próximo da área de picking. Note na imagem de agrupamento ABC abaixo, onde você pode colocar o seus produtos Pareto. Por exemplo, você poderia usar o espaço central que está sendo compartilhado ente as SKUs A e B.

Agrupamento ABC - Pareto

Agrupamento ABC – Princípio de Pareto

Essas simples dicas de organização de armazém podem reduzir o tempo que seus funcionários utilizam para completar as tarefas, aumentar o número de ordens expedidas, reduzir erros de picking e contagem, e economizar milhares de reais.

Mas, e para os varejistas que querem melhorar o processo de entrega de seus produtos em regiões específicas, mas não possuem armazéns posicionados em todas as regiões?

A Wistor tem a solução, encontramos os melhores armazéns, do ponto de vista de localização, procedimentos de organização de armazém e manuseio de mercadoria; para que você utilize os seus espaços sob demanda, a preços atrativos e com alta flexibilidade no processo de aluguel e operação logística.

Não faça o seu cliente esperar e aumente suas vendas com o a solução de compartilhamento de armazéns ofertada pela Wistor. Fale com o nosso time comercial.


Veja também como rentabilizar suas operações de entrega de mercadorias, alugando espaços de armazéns compartilhados.

Dicas ao guardar móveis: Cuidados com o frete

Frete e Guarda Móveis

Guarda móveis frete

No artigo desta semana iremos falar sobre um item que acaba contribuindo bastante na hora de orçarmos o custo total envolvido em um serviço de guarda móveis: O custo do frete. Conforme falamos em um artigo anterior, muitas transportadoras também oferecem o serviço de guarda móveis, o que a princípio pode parecer muito bom, pois diminui o número de orçamentos a serem feitos.

Entretanto, você deve se atentar a alguns fatores importantíssimos para não cair na famosa armadilha do “barato sai caro”, neste artigo vamos passar algumas dicas importantes que muitas vezes acabam passando desapercebido na correria da mudança.

Tamanho do veículo

Ao contratar um frete é imprescindível estar atento se todos os objetos irão caber, pois caso contrário será preciso ser feita mais uma viagem, o que acarretará em custos adicionais. Em nosso artigo anterior, demos algumas dicas para que você possa fazer as medidas de seus objetos. Nós recomendamos que você mesmo faça isso ao invés de enviar a lista de objetos para o prestador de serviços e esperar que ele consiga estimar melhor que você, isso não é uma verdade. Pergunte ao prestador o tamanho de seu veículo, e aí verifique se irá caber tudo numa viagem só. Para se ter uma ideia, geralmente nas grandes cidades o transporte é feito usando os caminhões VUCs (Veículo Urbano de Carga), e existe um tamanho máximo permitido das cargas (regulamentado para cada cidade), em São Paulo, por exemplo, o tamanho máximo é de: 2,2 m (largura) x 7,2 m (comprimento), o que dá quase 16 m². Não há uma especificação referente a altura, mas em média esses veículos costumam medir 2,4 m de altura, mais um motivo para que você pergunte as medidas para seu prestador de serviços.

Dia e horário

Em algumas cidades, como São Paulo, existem restrições de dia e horário de circulação de caminhões, é importante se informar antes sobre essas regras para que você planeje direitinho o período necessário. Se você mora em um condomínio também é preciso se informar com o zelador para saber as regras e restrições do condomínio, evitando surpresas na “hora H”. Além disso, a demanda por mudanças aos Sábados é maior, e por este motivo alguns prestadores de serviço costumam aumentar o seu preço. Se puder fugir desses dias e horários de maior demanda, o seu bolso agradece.

Atenção ao prazo

Por fim, temos uma dica que não é relacionada ao frete em si, mas refere-se às empresas de mudança e guarda móveis. Conforme falamos anteriormente, os serviços de guarda móveis e self -storage geralmente são cobrados por mês, então se você for utilizar o serviço por um período maior é bom fazer as contas antes de contratar o transporte e o guarda móveis junto. Para períodos curtos (menores que 3 meses), provavelmente a diferença de preço será pequena, mas caso você saiba que irá precisar do serviço por um período maior que esse, recomendamos que faça as contas com calma.

Na Wistor, incentivamos nossos storagers a oferecerem descontos para pessoas que reservam seus espaços por períodos maiores que um mês.

Esperamos que com essas dicas você consiga economizar não só com o preço do serviço de guarda móveis, como também no preço do frete, o que em algum casos pode representar até 50% do orçamento total. Continue acompanhando o nosso blog que sempre traremos mais dicas de economia para você.

Abraços e até a próxima =)